Mostrando postagens com marcador pintura. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador pintura. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Pintura com Giz de Cera.

Oficina – Pintura com giz de cera

Exercícios iniciais para pintar – Coordenação motoraÉ importante que a criança se exercite bastante para ter mais segurança ao pintar.
a) Faça linhas de apoio, isto é, linhas paralelas onde a criança vai se exercitar.
b) Peça que pegue o Giz de cera e comece a riscar num sentido só (sentido inclinado em relação à linha de apoio). Em alguns momentos pressione mais o giz sobre o papel, em outros, pressione menos. O Giz ficará mais forte, mais claro, mais forte, mais claro.
c) Faça o mesmo exercício no sentido horizontal.
d) Faça linhas continuais iguais, de preferência retas.
e) Faça linhas curvas. Repita-as.
f) Faça o exercício “a” no sentido vertical
g) Faça linhas curvas contínuas e iguais, enfim, proponha vários exercícios de forma que a mão vá se acostumando ao giz de cera.
Exemplo:


a) Pintura com giz de cera – Movimentos horizontaisDeslize o giz de cera na posição horizontal com a cor mais clara, em seguida, passe a cor mais forte com menos pressão na mão. O objetivo é que elas se misturem, não que a mais forte cubra a mais clara.

b) Pintura com giz de cera – Movimentos circulares Deslize o giz de cera de forma circular. Inicialmente a cor mais clara e, depois a cor mais forte com pouca pressão, para dar o efeito de sombreado.

c) Pintura com giz de cera – Movimentos cruzados Deslize o giz de cera com movimentos na posição inclinada para direita com a cor mais clara e, em seguida, com a mesma cor, pinte com movimentos inclinados para a a esquerda, trançando a pintura. Proceda da mesma forma com a cor mais forte, com a mesma pressão.

d) Pintura com giz de cera – Movimentos lineares Deslize o giz de cera com a cor mais clara de baixo para cima (linhas). Em seguida, com a cor mais forte e, com menos pressão, faça os mesmos movimentos.


Dicas para pintar
a) Papel – Canson – É o tipo ideal de papel para pintar porque a gramatura é bem alta.
- Cartolina – As melhores cartolinas para pintura são as de gramatura mais altas e opacas. Nas brilhantes, o lápis não consegue se fixar com qualidade.
- Color Set – Os melhores são os de gramatura maior e opacos para que o giz de cera se fixe bem.
- Cartão – Não é bom para pintura pois é muito brilhante e  o giz não se fixa.
- Sulfite – O melhor é o de gramatura 90 porque o de gramatura 75 é muito fino.
b) Giz de ceraTodos os tipos de Giz de cera ajudam a criança  no aprendizado da escrita e no desenvolvimento da coordenação motora. São muito utilizados na Ed. Infantil, nos trabalhos escolares da Ed. Fundamental e nas aulas de Artes. Existem vários tipos de Giz de cera: Curto, Longo, Triangular e o “Meu 1º Giz”, que é um giz excelente para ser utilizado por crianças bem pequenas por ser mais grosso que os demais, facilita a pega e dificilmente se quebra.

c) Ação de pintar - DICAS - O giz ideal - Quando a criança é bem pequena (Ed. Infantil) deverá ficar livre para experimentar os diferentes tipos de Giz de cera. Ela se adaptará mais ao “Meu 1º Giz” pelo próprio formato dele. Elas também se adaptam muito bem ao Giz de cera Curto e o Giz de cera Triangular pelo formato anatômico que se encaixa na mãozinha dela.
- Direção – Na pré escola as crianças ensine seus alunos a pintar sempre num sentido só, pode ser o desenho todo ou cada parte num sentido.

 d) Erros comuns que as crianças cometem ao pintar         - Contorno em preto – O contorno das figuras com o giz de cera preto deve ser a última coisa a ser feita e, as crianças, geralmente fazem em primeiro lugar e acabam borrando toda a pintura.
         - Mistura de direção – A criança, às vezes, pinta em vários sentidos num mesmo elemento. Ex: Se, num desenho tiverem várias bexigas, a criança poderá pintar cada uma num sentido diferente, o que não deve fazer é pintar em vários sentidos numa mesma bexiga.
         - Contorno de preto – O contorno de preto serve para realçar um desenho e não pode ser feito no início da pintura, sempre no final. No início acaba borrando todo o trabalho.
         - Giz de cera apontado – O giz de cera deverá ser apontado sempre que necessário para que não fique uma pintura grosseira.

PINTURA COM GIZ DE CERA - POSSIBILIDADES
a) Pintura com Giz de cera preto sobre fundo brancoConsiste em pintar com giz de cera preto de maneira que os elementos desenhados fiquem mais fortes e o fundo mais claro.

 
b) Pintura com Giz de cera branco sobre fundo preto (papel color set)Consiste em utilizar o Giz de cera branco em papéis escuros (preto, vinho, verde musgo, marrom ou roxo). O papel deve ser fosco para que o giz deslize e a pintura apareça bem.


 c) Pintura com Giz de cera colorido sobre fundo branco – Cores sobrepostasPinte o desenho com movimentos de vai e vem. Cores claras por baixo e, as mais fortes, por cima.

 

d) Pintura com Giz de cera branco e GuacheFaça o desenho com o Giz de cera branco. Passe Guache da cor que escolher bem líquido. Espere secar. Aparecerá o desenho que foi feito com Giz de cera branco.


 
e) Pintura com Giz de cera branco sobre lixa


f) Pintura com Giz de cera  - Preenchimento com linhasA criança poderá preencher com linhas retas ou curvas, símbolos, bolinhas, triângulos, etc. O resultado é uma pintura diferente.

g) Pintura com Giz de cera – Linhas trançadasEsse tipo de pintura começa com linhas paralelas no mesmo sentido, quando tudo estiver preenchido a criança deverá traçar linhas paralelas no sentido oposto (trançando as linhas).

 h) Pintura com Giz de cera - CalcogravuraBase para calcogravura – Sobre um pedaço de papelão  Paraná cole a paisagem feita em partes com papel micro ondulado, lixa ou outro material que tenha textura.
Coloque uma folha de papel Canson sobre essa base e passe o Giz de cera deitado. Conforme o giz de cera vai sendo passado sobre o papel, o desenho vai aparecendo.

 
i) Pintura com raspas de Giz de ceraFaça o desenho no papel Canson ou cartolina. Coloque raspas de giz de cera , verde nas montanhas, laranja ou amarelo no sol e azul com branco no céu. Coloque outra folha de papel Canson ou cartolina sobre as raspas, pase o ferro morno sobre a folha. Ao esquentar, o giz de cera derrete e o desenho se forma nas duas folhas.

Obs .: A utilização do ferro de passar deverá ser feita pelo professor ou pelo aluno com supervisão de um adulto

j) Pintura com Giz de cera em tedico – TransferEssa técnica consiste em fazer um desenho sobre a lixa, passar giz de cera sobre ele (bem forte).
Coloque a lixa sobre a sacola de lona de maneira que o desenho com o giz de cera fique em contato com a lona.
Passe o ferro quente sobre sobre a lixa. Ao levantar a lixa você perceberá que o desenho foi transferido para a sacola.

Obs .: A utilização do ferro de passar deverá ser feita pelo professor ou pelo aluno com supervisão de um adulto

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Séries Obras de artes -Projeto Van Gogh -

Van Gogh é considerado um dos principais representantes da pintura mundial. Nasceu na Holanda em 1853. Teve uma irmã e um irmão chamado Theo. Com este irmão, estabeleceu uma forte relação de amizade. Através das cartas que trocou com o irmão, os pesquisadores conseguiram resgatar muitos aspectos da vida e do trabalho do pintor.

Começou a atuar profissionalmente ainda jovem, por volta dos 15 anos de idade. Trabalhou para um comerciante de arte da cidade de Haia. Com quase vinte anos, foi morar em Londres e depois em Paris, graças ao reconhecimento que teve. Porém, o interesse pelos assuntos religiosos acabou desviando sua atenção e resolveu estudar Teologia, na cidade de Amsterdã.  Mesmo sem terminar o curso, passou a atuar como pastor na Bélgica, por apenas seis meses. Impressionado com a vida e o trabalho dos pobres mineiros da cidade, elaborou vários desenhos à lápis.

Resolveu retornar para a cidade de Haia, em 1880, e passou a dedicar um tempo maior à pintura. Após receber uma significativa influência da Escola de Haia, começou a elaborar uma série de trabalhos, utilizando técnicas de jogos de luzes. Neste período, suas telas retratavam a vida cotidiana dos camponeses e os trabalhadores na zona rural da Holanda.

O ano de 1886, foi de extrema importância em sua carreira. Foi  morar em Paris, com seu irmão. Conheceu, na nova cidade, importantes pintores da época como, por exemplo, Emile Bernard, Toulouse-Lautrec, Paul Gauguin e Edgar Degas, representantes do impressionismo.  Recebeu uma grande influência destes mestres do impressionismo, como podemos perceber em várias de suas telas

Dois anos após ter chegado à França, parte para a cidade de Arles, ao sul do país. Uma região rica em paisagens rurais, com um cenário bucólico. Foi neste contexto que pintou várias obras com girassóis.  Em Arles, fez único quadro que conseguiu vender durante toda sua vida : A Vinha Encarnada. 

Convidou Gauguin para morar com ele no sul da França. Este foi o único que aceitou sua idéia de fundar um centro artístico naquela região. No início, a relação entre os dois era tranqüila, porém com o tempo, os desentendimentos foram aumentando e, quando Gauguin retornou para Paris, Vincent entrou em depressão.  Em várias ocasiões teve ataques de violência e seu comportamento ficou muito agressivo. Foi neste período que chegou a cortar sua orelha.  

Seu estado psicológico chegou a refletir em suas obras. Deixou a técnica do pontilhado e passou a pintar com rápidas e pequenas pinceladas. No ano de 1889, sua doença ficou mais grave e teve que ser internado numa clínica psiquiátrica. Nesta clínica, dentro de um mosteiro, havia um belo jardim que passou a ser sua fonte de inspiração. As pinceladas foram deixadas de lado e as curvas em espiral começaram a aparecer em suas telas 

No mês de maio, deixou a clínica e voltou a morar em Paris, próximo de seu irmão e do doutor Paul Gachet, que iria lhe tratar. Este doutor foi retratado num de seus trabalhos: Retrato do Doutor Gachet. Porém a situação depressiva não regrediu. No dia 27 de julho de 1890, atirou em seu próprio peito. Foi levado para um hospital, mas não resistiu, morreu três dias depois.

Principais obras de Van Gogh : Os comedores de batatas, A italiana, A vinha encarnada, A casa amarela, Auto-retratos, Retrato do Dr. Gachet, Girassóis, Vista de Arles com Lírios,  Noite Estrelada, O velho moinho, Oliveiras entre outros.





Atividade: Representação de algumas obras de Vincent van Gogh com diferentes materiais. 

Objetivos:

a) Conhecer a vida e as obras de Vincent van Gogh, as características da sua pintura, as cores utilizadas, as paisagens, as flores,e tc.
b) Escolher uma obra da artista, fazer a leitura formal e interpretativa.
c) Apropriar-se da obra e criar obras inéditas, com diferentes materiais e técnicas, partindo dela.

Atividade 01 – “Árvores” (desenho com giz de cera triangular)

Material: papel branco, gramatura 120 a 180, giz de cera triangular e Crystal cola

Modo de fazer:

a) Fazer um desenho sobre o papel branco gramatura 120 a 180.
b) Pintar com giz de cera triangular com a técnica impressionista (risquinhos, manchas, borrões). Com a ponta do giz vá fazendo risquinhos sobre o papel ou borrões para ir formando o desenho.
c) Se quiser, depois de pronto o trabalho, fazer relevos com Crystal cola.



Observação: Os trabalhos acima foram feitos pelas professoras da Rede Municipal de Paraguaçú Paulista em curso de capacitação em Novembro de 2009.


Atividade 02 – “Árvores” (Textura criativa)

Material: tela para pintura, Tinta Acrylic colors (várias cores), Kit de textura criativa, Crystal cola (várias cores), espátula, pratinho plástico, palito de sorvetes e pincel.

Modo de fazer:

a) Pinte a tela com Tinta Acrylic colors (fundo), utilize as cores que mais se adequarem à sua paisagem. Coloque a tinta no pincel e molhe um pouquinho (pintura aguada).
b) Coloque Textura criativa sobre um pratinho plástico e misture com a Tinta Acrílica até obter a cor desejada, por exemplo, para o tronco da árvore utilizamos marrom, portanto, coloque a textura amarela no pratinho e adicione um pouco de Tintas Acrílica vermelha e um pouquinho de preto. Misture até ficar na cor desejada.
c) Aplique sobre a tela com a espátula ou palito de sorvete. Para fazer o tronco.
d) Proceda da mesma forma com a copa da árvore em tons de verde.
e) Faça o chão, sol, enfim, todos os elementos da obra e, para finalizar, faça relevos com a Crystal cola.




Atividade 03 – “Noite estrelada” (Obra em continuidade)

Material: tela para pintura, Tinta Acrylic colors, Xerox colorido da obra “Noite estrelada” de Van Gogh, cola bastão Acrilex, Crystal cola e pincel.

Modo de fazer:

a) Cole a obra sobre a tela num canto, no meio, parte superior, inferior, onde achar melhor. Utilize a Cola bastão Acrilex.
b) Pinte o restante da tela dando continuidade à obra. Para isso utilize a Tinta Acrylic colors.
c) Depois de pronta a sua obra, faça texturas, relevos com a Crystal cola.



Conteúdos trabalhados:

- Leitura formal, interpretativa, releitura, vida e obras de Van Gogh.
- Linhas, formas, paralelas, perpendiculares, sobreposição, volume, texturas, bi e tridimensão, composição, proporção, harmonia e planos.

Técnicas trabalhadas:

- Pintura impressionista com giz de cera – Atividade 01
- Pintura aguada e Pintura com espátula – Atividade 02
- Colagem e Pintura em continuidade com relevo – Atividade 03

Possibilidades de trabalho:

- Inicialmente apresente aos alunos as obras de Vincen van Gogh, escolha uma delas (sugestão – “Árvores” ou “Noite estrelada”).
- Escolhida a obra, façam a leitura formal (linhas, formas, planos, cores, formas, etc).
- No segundo momento faça a leitura interpretativa da obra (O que vejo na obra?, O que está representando, o que me lembra? Qual a mensagem traz a obra, etc).
- Fale sobre o artista Vincent van Gogh, seu estilo, as cores usadas nas obras, o tipo de pintura, os girassóis, as árvores, os campos que tanto foram retratados por ele. Converse sobre as técnicas utilizadas por ele e como a pintura de Van Gogh foi se modificando do início de sua carreira até o final dela.
- Fale com as crianças sobre o Impressionismo, o que acontecia no Brasil e no mundo na época e o que isso influenciou Van Gogh.
- Inspirado na obra escolhida, faça o seu desenho e pinte conforme as sugestões acima ou crie outras possibilidades.
- Faça uma roda de conversa onde cada criança mostrará sua criação e contará o que aprendeu com o desenvolvimento da atividade, como foi o processo de criação, quais os novos conteúdos aprendidos e quais os relembrados.
    
Dicas: 

1. Para trabalhar com a Textura criativa, é importante utilizar a espátula ou palitos de sorvete. Terminando de usar é necessário limpar a espátula para que possa ser utilizada posteriormente. 
2. Para se obter outras cores na textura criativa utilize um pratinho e misture com palito de sorvetes.
3. As sobras de Textura criativa devem ser guardadas em potinhos fechados.
4. Lave os pincéis, seque e guarde para utilizá-lo na próxima atividade.
5. Mexa bem as tintas antes de abrir (chacoalhe).
6. Depois de utilizar as tintas, limpe os bicos ou as bordas e tampe bem.

Observação: Para saber mais leia os livros “Comemorando e Aprendendo” I, II, III ou IV de autoria de Ivete Raffa – Editora Giracor.

Série Obras de artes - Projeto Paul Cezanne -

Possibilidades de criação - Paul Cezanne
Paul Cézanne nasceu na França em 1839 e morreu em 1906. Embora contrário à vocação artística do filho, seu pai, banqueiro em Aix, permite-lhe afinal estudar pintura em Paris, em 1861. Cézanne candidata-se à Escola de Belas Artes, mas é recusado e volta à sua cidade. Retornará a Paris, contudo, matriculando-se no Ateliê Libre Suisse, onde conhece Pissarro, Monet, Sisley e Renoir.

Nessa época, ele tem grande admiração por Delacroix e Courbet. Pinta uma série de obras de inspiração romântica. Insatisfeito com o tumulto da cidade e com sua pintura, volta a Aix para trabalhar no banco do pai.

De 1864 a 1870 divide o tempo entre Aix e Paris, fazendo uma pintura empastada, por vezes com espátula, de técnica quase brutal e, freqüentemente influenciada por Veronese e Delacroix, pela composição barroca, numa movimentação desordenada que é o inverso de sua obra posterior, contrária aos temas grandiosos.

Após uma estada em Aix, em 1873 vai a Auvers-sur-Oise, onde se acha Pissarro, que o encaminha para a pintura ao ar livre do Impressionismo. Inicia-se então a verdadeira carreira do artista. A primeira obra-prima da fase é "A casa do enforcado" (1873), seguida de uma série admirável de naturezas-mortas, tema que, pela simplicidade de motivos, será uma constante em sua obra.

De 1874 a 1877 Cézanne participou das exposições impressionistas, mas sua real ambição era ser aceito no famoso Salão anual, em que a crítica especializada reunia aqueles que ela considerava como os principais artistas. Cézanne, contudo, era sistematicamente rejeitado.

Cézanne passa a preferir o isolamento, pintando em lugares como Medan, La Roche Guyon e Gardanne, onde sua obra atinge a maturidade, ao incorporar a experiência impressionista à conclusão de que a pintura é produto de uma reconstrução da natureza feita através de um raciocínio lógico.

Depois que os pais morrem, instala-se, em 1898, numa pequena casa de Aix, onde vive solitário com uma velha governanta. Sua arte atinge o auge da depuração nas paisagens de, por exemplo, O grande pinheiro, que pode ser admirada na coleção permanente do Museu de Arte de São Paulo - MASP.

Dedica-se, então, a reconstruir a arte dos grandes classicistas, modulando a cor em curtas pinceladas para dar a impressão do volume. Cézanne seria reconhecido pela crítica, por seus contemporâneos e pela posteridade por sua capacidade de executar uma arte que é, antes de tudo, "coisa mental", fundada em valores despidos de ornamentalismos, ao mesmo tempo que expressa o desenho e a construção rigorosa. Ele é o verdadeiro fundador da arte moderna.

Algumas obras de Paul Cezanne
:
Atividade: Representação da obra “Natureza morta – Maçãs” de Paul Cezanne com diferentes materiais.
Objetivos:
  1. Conhecer a vida e as obras de Paul Cezanne, as características da sua pintura, as cores utilizadas, as paisagens, as naturezas mortas.
  2. Escolher uma obra da artista, fazer a leitura formal e interpretativa – Sugestão “Natureza morta – Maçãs”.
  3. Apropriar-se da obra e criar obras inéditas, com diferentes materiais e técnicas,  partindo dela.
Sugestão 01 – “Natureza morta – Maçãs” - Representação da obra com papel mache
Materiais: Papier maché, Base Branca Acrílica para Artesanato, Tinta Nature Colors, Guache ou Tinta Acrílica Fosca ou Tinta PVA para Artesanato e pincel.

Modo de fazer:
  1. Prepare o papel mache de acordo com as instruções da embalagem.
  2. Modele as frutas que você vê na obra.
  3. Espere secar bem. Passe uma demão de base branca.
  4. Pinte com uma das tintas sugeridas na lista de materiais.
  5. Represente a obra com as frutas.
Sugestão 02 – “Natureza morta – Maçãs” – Representação da obra com origami
Materiais: papel sulfite, régua, lápis, tesoura, papel color set verde, cola branca, papelão ou tela para pintura, Guache, Guache Glytter e Guache Metálico (várias cores) e pincel.
Modo de fazer:
Pinte folhas de papel sulfite usando o Guache Metálico, Guache Glyter ou Guache comum. Utilize vermelho e amarelo. Utilize a técnica das batidinhas, manchando o papel, em alguns lugares vermelho, outros amarelos e outros a mistura das duas cores. Espere secar.
Corte quadrados medindo 7 x 7cm, 8,5 x 8,5cm e 10 x 10 cm. Dobre Cada quadrado seguindo os passos abaixo.
Cole um cabinho em cada maçã. 
Pinte o papelão (fundo) com Guache (sugestão: Marrom e amarelo) e cole as maçãs com cola branca, para montar a composição.
Sugestão 03 – Natureza morta – Maçãs – Casinha de abelha

Material: Papel color set vermelho e verde, papel de seda vermelho, tesoura e Cola branca.
Modo de fazer:
  1. Molde – Desenhe uma maçã. Corte ao meio, esta metade será o molde para a casinha de abelha.
  2. Corte o molde duas vezes no papel color set vermelho (foto 01).
  3. Dobre a folha de papel de seda três vezes (foto 02).
  4. Risque sobre o papel de seda dobrado o molde da meia maçã, risque quantas vezes couber e corte. Cada vez que cortar sairão oito partes de papel de seda. Separe os papéis em montinhos de oito, isso facilita o trabalho para dobrar (foto 03).
  5. Dobre os montinhos, um por um. Faça três dobras. Dobre ao meio, depois ao meio e ao meio novamente, sempre perpendicular à parte reta (foto 04).
  6. Separe os papéis (foto 05).
  7. Passe pouquíssima cola nas bordas de uma das partes do papel color set e cole uma parte de papel de seda (foto 06).
  8. Passe pouquíssima cola nos vincos ímpares, sem chegar às bordas (foto 06).
  9. Faça a mesma coisa nas partes pares (foto 08). Proceda dessa forma até colar mais ou menos 60 partes de papel de seda.
  10. Passe cola nas laterais do 60º papel de seda e cole o segundo papel color set por cima (foto 09). Abra para secar por vinte minutos.
  11. Com prego ou vazador, faça dois furos no trabalho, distantes um centímetro da parte central da maçã (foto 10). Abra o trabalho para soltar os papéis e feche novamente.
  12. Amarre a linha de bordar dando folga de um centímetro (foto 11).
  13. Para manter a maçã aberta pela metade, utilize um palito de sorvetes unindo as duas partes (foto 12) ou junte as partes com clip, assim ela ficará inteira.
  14. Faça goiabas e peras e monte a obra com as frutas.
Fotos do passo a passo:
Conteúdos trabalhados:

- Leitura formal, interpretativa, releitura, vida e obras de Paul Cezanne.
- Linhas, formas, paralelas, perpendiculares, sobreposição, volume, bi e tridimensão, composição, proporção, harmonia e planos.
Técnicas trabalhadas:
- Modelagem e pintura – Atividade 01
- Pintura chapiscada e origami – Atividade 02
- Recorte e colagem – Atividade 03
Possibilidades de trabalho:
- Inicialmente apresente aos alunos as obras de Paul Cezanne, escolha uma delas (sugestão – “Natureza Morta – Maçãs”).

- Escolhida a obra, façam a leitura formal (linhas, formas, planos, cores, formas, etc).

- No segundo momento faça a leitura interpretativa da obra (O que vejo na obra?, O que está representando, o que me lembra? Qual a mensagem que o artista queria passar? etc).

- Fale sobre o artista Paul Cezanne, seu estilo, as cores usadas nas obras, o tipo de pintura, as naturezas mortas que ele pintava, os temas que ele pintava, as técnicas, as pinceladas, a representação dos planos, etc. Fale com as crianças sobre o Impressionismo, o que acontecia no Brasil e no mundo na época e o que isso influenciou Paul Cezanne.

- Inspirado na obra escolhida, faça o seu desenho e modele, pinte, dobre  ou faça uma montagem tridimensional conforme as sugestões acima.

- Faça uma roda de conversa onde cada criança mostrará sua criação e contará o que aprendeu com o desenvolvimento da atividade, como foi o processo de criação, quais os novos conteúdos aprendidos e quais os relembrados.
  
Dicas:
  1. Siga as instruções para preparar o papel mache, pois se colocar muita água ficará mole e será difícil modelar.
  2. Se sobrar papel mache preparado, envolva-o em plástico e coloque na geladeira. Utilize-o em até 60 dias.
  3. Limpe sempre o pincel ao trocar a cor da tinta.
  4. Utilize quantas cores desejar.
  5. Mexa bem as tintas ou colas antes de abrir.
  6. Pinte preenchendo bem os espaços.
  7. Limpe os bicos e bordas das tintas ao fechar.
Observação: Para saber mais leia os livros “Comemorando e Aprendendo” I, II, III ou IV de autoria de Ivete Raffa – Editora Giracor.