Mostrando postagens com marcador Massinha de modelar. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Massinha de modelar. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Projeto Tarsila do Amaral - série Obras de Artes

Possibilidades de criação Tarsila do Amaral


Tarsila do Amaral nasceu em 1º de setembro de 1886 na Fazenda São Bernardo, município de Capivari, interior do Estado de São Paulo. Filha de José Estanislau do Amaral e Lydia Dias de Aguiar do Amaral. Era neta de José Estanislau do Amaral, cognominado “o milionário” em razão da imensa fortuna que acumulou abrindo fazendas no interior de São Paulo. Seu pai herdou apreciável fortuna e diversas fazendas nas quais Tarsila passou a infância e adolescência.

Estuda em São Paulo no Colégio Sion e completa seus estudos em Barcelona, na Espanha, onde pinta seu primeiro quadro, “Sagrado Coração de Jesus”, aos 16 anos. Casa-se em 1906 com André Teixeira Pinto com quem teve sua única filha, Dulce. Separa-se dele e começa a estudar escultura em 1916 com Zadig e Mantovani em São Paulo. Posteriormente estuda desenho e pintura com Pedro Alexandrino. Em 1920 embarca para a Europa objetivando ingressar na Académie Julian em Paris. Frequenta também o ateliê de Émile Renard. Em 1922 tem uma tela sua admitida no Salão Oficial dos Artistas Franceses. Nesse mesmo ano regressa ao Brasil e se integra com os intelectuais do grupo modernista. Faz parte do “grupo dos cinco” juntamente com Anita Malfatti, Oswald de Andrade, Mário de Andrade e Menotti del Picchia. Nessa época começa seu namoro com o escritor Oswald de Andrade. Embora não tenha sido participante da “Semana de 22” integra-se ao Modernismo que surgia no Brasil, visto que na Europa estava fazendo estudos acadêmicos.

Volta à Europa em 1923 e tem contato com os modernistas que lá se encontravam: intelectuais, pintores, músicos e poetas. Estuda com Albert Gleizes e Fernand Léger, grandes mestres cubistas. Mantém estreita amizade com Blaise Cendrars, poeta franco-suiço que visita o Brasil em 1924. Inicia sua pintura “pau-brasil” dotada de cores e temas acentuadamente brasileiros. Em 1926 expõe em Paris, obtendo grande sucesso. Casa-se no mesmo com Oswald de Andrade. Em 1928 pinta o “Abaporu” para dar de presente de aniversário a Oswald que se empolga com a tela e cria o Movimento Antropofágico. É deste período a fase antropofágica da sua pintura. Em 1929 expõe individualmente pela primeira vez no Brasil. Separa-se de Oswald em 1930.

Em 1933 pinta o quadro “Operários” e dá início à pintura social no Brasil. No ano seguinte participa do I Salão Paulista de Belas Artes. Passa a viver com o escritor Luís Martins por quase vinte anos, de meados dos anos 30 a meados dos anos 50. De 1936 à 1952, trabalha como colunista nos Diários Associados.

Nos anos 50 volta ao tema “pau brasil”. Participa em 1951 da I Bienal de São Paulo. Em 1963 tem sala especial na VII Bienal de São Paulo e no ano seguinte participação especial na XXXII Bienal de Veneza. Faleceu em São Paulo no dia 17 de janeiro de 1973.




Atividade: Pintura inspirada nas obras de Tarsila do Amaral.


Objetivos:
a) Conhecer a vida e as obras de Tarsila do Amaral, as características dos seus desenhos, as cores utilizadas, as texturas, contornos e temas pintados.
b) Escolher uma obra da artista, fazer a leitura formal e interpretativa.
c) Apropriar-se da obra e criar obras inéditas, com diferentes materiais e técnicas, partindo dela.

Sugestão 01 – Obra
“Cuca” - Representação da obra com Massinhas Soft


Observção: Tela produzida pelo aluno da pré escola Thiago, aluno da Prof. Odete Caetano da Rocha do Colégio Santa Rita (Zona Leste de São Paulo).

Material: Ecotela, Tinta Acrílica ou Guache, Massinhas Soft e cola branca.

Modo de fazer:
a) Monte a Ecotela usando cola branca.
b) Pinte-a com Tinta Acrílica ou Tinta guache verde.
c) Modele com massinhas animais, árvores, etc. inspirados na obra de Tarsila do Amaral.
d) Cole os elementos na obra.


Sugestão 02 - Pintura em tela 

Telas produzidas pelas professoras das Escolas Municipais de Paraguaçú Paulista em curso de capacitação em 2008


Material: tela para pintura, Tinta Acrílica para pintura em tela, pincéis, Crystal cola, Tinta Dimensional preta.

Modo de fazer: 
a) A partir da leitura formal e interpretativa de uma das obras de Tarsila do Amaral, crie seu desenho sobre a tela.
b) Pinte os espaços com a Tinta Acrylic Colors. Espere secar.
c) Faça os contornos com Tinta Dimensional preta.
d) Com a Crystal cola faça texturas em algumas partes do trabalho.

Sugestão 03 – Abaporu com tatuagens - tridimensional

Material: Base Acrílica para Artesanato, Guache ou Tinta Acrílica, Cola de isopor, papelão, placas de isopor, palitos de churrasco, cola, tesoura, cortador de papel em formato de flor, papéis coloridos, papel laminado prateado, cola quente e canetinha permanente preta.

Modo de fazer:

Elementos:
a)    Risque sobre o papelão o Abaporu, os cactos e o sol. Passe uma demão de Base Acrílica para Artesanato e espere secar.
b)    Com Tinta Guache ou Tinta Acrílica pinte os elementos.
c)    Com Caneta permanente preta faça desenhos no Abaporu como se fossem tatuagens.
d)    Decore os cactos colando florzinhas de papel cortadas com cortador.
e)    Cole com cola quente palitos de churrasco por trás do Abaporu e dos cactos.

Base:
a)    Corte várias placas de isopor. Cole uma sobre a outra com a Cola de isopor.
b)    Pinte com guache ou Tinta Acrílica

Céu:
a)    Noite – Pinte uma placa de papelão com Guache ou Tinta Acrílica azul. Corte estrelas e lua no papel laminado prateado e cole sobre o céu.
b)    Dia – Pinte o céu com cores bem vivas (amarelo, laranja e vermelho). Espere secar. Cole o sol (círculo de papelão pintado).

Montagem tridimensional
a)    Espete os elementos (Abaporu e cactos) sobre a base de isopor.
b)    Coloque o céu, dia ou noite atrás dos elementos, assim a montagem tridimensional ficará pronta.



Conteúdos trabalhados:
- Leitura formal, interpretativa, releitura, vida e obras de Tarsila do Amaral.
- Linhas, formas, mistura de cores, sobreposição, composição, proporção, bi e tridimensão, harmonia, textura e planos.

Técnicas trabalhadas:
- Modelagem e pintura – Atividade 01
- Pintura chapada com texturas – Atividade 02
- Pintura em degradée, chapiscada e chapada – Atividade 03

Possibilidades de trabalho:
- Inicialmente apresente aos alunos as obras de Tarsila do Amaral, e juntos, escolham uma delas.
- Escolhida a obra, façam a leitura formal (linhas, formas, planos, cores, formas, etc).
- No segundo momento faça a leitura interpretativa da obra (O que vejo na obra?, O que está representando, o que me lembra? Qual a mensagem que o artista queria passar? etc).
- Fale sobre a artista Tarsila do Amaral, seu estilo, as cores usadas nas obras (cores caipiras), os temas que ela aborda, as técnicas, o cubismo (a simplificação das formas e traços), a representação dos planos, etc. Fale com as crianças sobre o Modernismo, o que acontecia no Brasil e no mundo na época e o que isso influenciou Tarsila. - Explore os sentimentos que aparecem na obra escolhida, faça uma reflexão sobre os seus próprios sentimentos.
- Inspirado na obra escolhida, faça o seu desenho e modele, pinte ou faça uma montagem tridimensional conforme as sugestões acima.
- Faça uma roda de conversa onde cada criança mostrará sua criação e contará o que aprendeu com o desenvolvimento da atividade, como foi o processo de criação, quais os novos conteúdos aprendidos e quais os relembrados.

Dicas:
1. Limpe sempre o pincel ao trocar a cor da tinta.
2. Utilize quantas cores desejar.
3. Mexa bem as tintas ou colas antes de abrir.
4. Pinte preenchendo bem os espaços.
5. Antes de iniciar os contornos, teste em outro local para se acostumar ao trabalho.
6. Ao contornar a partes do desenho com a Tinta Dimensional preta, apóie o cotovelo para facilitar o trabalho.
7. Faça as texturas com a Crystal cola, bolinhas, linhas, pontos, mini formas geométricas, etc.
8. Limpe os bicos e bordas das tintas ao fechar.

Observação: Para saber mais leia os livros “Comemorando e Aprendendo” I, II, III ou IV de autoria de Ivete Raffa – Editora Giracor.