quarta-feira, 8 de julho de 2015

Texto Reunião de Pais

Marcas de Dedos


Marcas De Dedos

Às vezes, vocês se aborrecem
Porque ainda sou criancinha
E sempre deixo marcas de dedos
Nos móveis da casa inteirinha.

Mas estou crescendo dia a dia
E logo adulta vou ser
E essas marcas de dedos
Vão todas desaparecer.

Agora deixo uma marca bem especial
Pra vocês nunca esquecerem
Como eram meus dedinhos
Antes de eu crescer.

Caso queira antes fazer uma brincadeira com os pais, separe os seguintes materiais materiais:

- tinta guache de cores diversas
- rolinho de espuma
- uma folha de papel 40Kg ou cartolina branca
- um pano limpo e úmido
- toalhas de papel.

Crie um título e já deixe reservado na cartolina.
Peça aos pais para escolherem uma tinta e pintarem a palma da mão
Depois, peça que na cartolina, carimbe a sua mão no lugar que preferir.
deixe que lavem e sequem as mãos. 
Após, entreguem a mensagem, faça uma leitura em voz alta, leve-os a refletir do quanto é gostoso esta 
atividade.
Mostre o quanto isso influencia diretamente do processo de desenvolvimento das crianças. 
coloque o cartaz com as marcas das mãos de todos os pais no mural da sala.
As crianças vão adorar ver a atividade realizada com os pais.


Deixe a Raiva Secar

Mariana ficou toda feliz porque ganhou de presente um joguinho de chá, todo azulzinho, com bolinhas 
amarelas.

No dia seguinte, Júlia sua amiguinha, veio bem cedo convidá-la para brincar.

Mariana não podia, pois iria sair com sua mãe naquela manhã.

Júlia então, pediu a coleguinha que lhe emprestasse o seu conjuntinho de chá para que ela pudesse 
brincar sozinha na garagem do prédio.

Mariana não queria emprestar, mas, com a insistência da amiga, resolveu ceder, fazendo questão de 
demonstrar todo o seu ciúme por aquele brinquedo tão especial.

Ao regressar do passeio, Mariana ficou chocada ao ver o seu conjuntinho de chá jogado no chão.

Faltavam algumas xícaras e a bandejinha estava toda quebrada.

Chorando e muito nervosa, Mariana desabafou:

"Está vendo, mamãe, o que a Júlia fez comigo?

Emprestei o meu brinquedo, ela estragou tudo e ainda deixou jogado no chão.

Totalmente descontrolada, Mariana queria, porque queria, ir ao apartamento de Júlia pedir explicações.

Mas a mãe, com muito carinho ponderou:

"Filhinha, lembra daquele dia quando você saiu com seu vestido novo todo branquinho e um carro, 
passando, jogou lama em sua roupa?

Ao chegar em casa você queria lavar imediatamente aquela sujeira, mas a vovó não deixou.

Você lembra o que a vovó falou?

Ela falou que era para deixar o barro secar primeiro. Depois ficava mais fácil limpar.

Pois é, minha filha, com a raiva é a mesma coisa.

Deixa a raiva secar primeiro..

Depois fica bem mais fácil resolver tudo.

Mariana não entendeu muito bem, mas resolveu seguir o conselho da mãe e foi para a sala ver televisão.

Logo depois alguém tocou a campainha..

Era Júlia, toda sem graça, com um embrulho na mão.

Sem que houvesse tempo para qualquer pergunta, ela foi falando:

"Mariana, sabe aquele menino mau da outra rua que fica correndo atrás da gente?

Ele veio querendo brincar comigo e eu não deixei.

Aí ele ficou bravo e estragou o brinquedo que você havia me emprestado.

Quando eu contei para a mamãe ela ficou preocupada e foi correndo comprar outro brinquedo igualzinho 
para você.

Espero que você não fique com raiva de mim.

Não foi minha culpa.."

"Não tem problema, disse Mariana, minha raiva já secou."

E dando um forte abraço em sua amiga, tomou-a pela mão e levou-a para o quarto para contar a história 
do vestido novo que havia sujado de barro.

Nunca tome qualquer atitude com raiva.

A raiva nos cega e impede que vejamos as coisas como elas realmente são.

Assim você evitará cometer injustiças e ganhará o respeito dos demais pela sua posição ponderada e correta
.

Diante de uma situação difícil. Lembre-se sempre: Deixe a raiva secar.


Vamos Semear



Um homem trabalhava em uma fábrica distante cinqüenta minutos de ônibus da sua casa. No ponto seguinte entrava uma senhora idosa que sempre sentava-se junto à janela. Ela abria a bolsa, tirava um pacotinho e passava a viagem toda jogando alguma coisa para fora. A cena sempre se repetia e um dia, curioso, o homem lhe perguntou o que jogava pela janela.

– Jogo sementes, respondeu ela.

– Sementes? Sementes de que?

– De flores. É que eu olho para fora e a estrada é tão vazia… Gostaria de poder viajar vendo flores coloridas por todo o caminho. Imagine como seria bom!

– Mas as sementes caem no asfalto, são esmagadas pelos pneus dos carros, devoradas pelos passarinhos… A senhora acha mesmo que estas sementes vão germinar na beira da estrada?

– Acho, meu filho. Mesmo que muitas se percam, algumas acabam caindo na terra e com o tempo vão brotar.

– Mesmo assim… demoram para crescer, precisam de água…

– Ah, eu faço a minha parte. Sempre há dias de chuva. E se alguém jogar as sementes, as flores nascerão.

Dizendo isso, virou-se para a janela aberta e recomeçou o seu trabalho.
O homem desceu logo adiante, achando que a senhora já estava senil.
Algum tempo depois…

Um dia, no mesmo ônibus, o homem ao olhar para fora percebeu flores na beira da estrada… Muitas flores… A paisagem colorida, perfumada e linda! Lembrou-se então daquela senhora. Procurou-a em vão. Perguntou ao cobrador, que conhecia todos os usuários do percurso.

– A velhinha das sementes? Pois é… Morreu há quase um mês.

O homem voltou para o seu lugar e continuou olhando a paisagem florida pela janela. “Quem diria, as flores brotaram mesmo”, pensou! “Mas de que adiantou o trabalho dela? Morreu e não pode ver esta beleza toda”.

Nesse instante, ouviu risos de criança. No banco à frente, uma garotinha apontava pela janela, entusiasmada:

– Olha, que lindo! Quantas flores pela estrada… Como se chamam aquelas flores?
Então, entendeu o que aquela senhora havia feito. Mesmo não estando ali para ver, fez a sua parte, deixou a sua marca, a beleza para a contemplação e a felicidade das pessoas.

No dia seguinte, o homem entrou no ônibus, sentou-se junto à janela e tirou um pacotinho de sementes do bolso… E assim, deu continuidade à vida, semeando o amor, a amizade, o entusiasmo e a alegria. O futuro depende das nossas ações no presente. “E se semeamos boas sementes, os frutos serão igualmente bons”. Vamos semear nossas sementes agora!

Nenhum comentário: